Siga-nos por Email

Olá pessoal, hoje a postagem será dedicada ao Rio de Janeiro... Como todos sabem (é o assunto dos telejornais) o deslizamento que está acontecendo está causando muitas mortes. Eu sei que vocês estão cansados de ouvir isso, mas também se for para pensar, não podemos ignorar. Agradeço quem for ler essa postagem até o fim, isso significa que você se preocupa com a humanidade.

“A região serrana do Rio de Janeiro enfrenta o que tem sido considerado o maior desastre natural do país. Desde 1967, em Caraguatatuba (SP), não se tinha um número tão alto de vítimas. Outros estados também sofrem com as enchentes, como São Paulo e Minas Gerais. No entanto, no estado do Rio de Janeiro, as cidades de Petrópolis, Teresópolis, Friburgo, Areal, São José do Vale do Rio Preto e Sumidouro já somam mais de 500 vítimas fatais e um número ainda incontável de desalojados. Esta tragédia, que dá somente seus primeiros passos no socorro das vítimas, ainda não nos permite avaliar os estragos causados pela enchente e todo o trabalho que ainda será necessário realizar, mas já coloca em questão a urgência da prevenção de catástrofes climáticas no país.”
“As enchentes no país durante o verão não são uma novidade (...) O ecologista Breno Alves explica em seu blog Discutindo Ecologia, as particularidades climáticas da região que estão por trás do fenômeno. Segundo ele, ‘A zona de convergência do Atlântico sul traz muita umidade (da região amazônica) para a região sudeste nesta época do ano. Só que na região serrana, a umidade já é por natureza mais alta. Assim, o sinergismo entre estes dois acontecimentos, gera tamanha pluviosidade’.”
“A urbanista Raquel Rolnik quando questionada se existe alguma solução para prevenir catástofres como essa, diz em seu blog: ‘Tem solução, sim. Evidentemente algumas medidas são paliativas. Há formas de intervenção para melhorar a estabilidade dos terrenos, drenarem melhor a água, conter encostas, ou seja, melhorar a condição de segurança e a gestão do lugar para que, mesmo numa situação de risco, se possa evitar mortes. Mas a questão de fundo é que ninguém vai morar numa área de risco porque quer ou porque é burro. As pessoas vão morar numa área de risco porque não têm nenhuma opção para a renda que possuem. Estamos falando de trabalhadores cujo rendimento não possibilita a compra ou aluguel de uma moradia num local adequado. E isso se repete em todas as cidades e regiões metropolitanas’.”
Solidariedade
“A mobilização da população é grande, não só auxiliando as autoridades no resgate de pessoas no local, mas também doando sangue, alimentos e divulgando informações. Um mapa com os postos de recolhimento de doações está em constante atualização. O Ministério da Saúde criou um cadastro de profissionais de saúde voluntários para o atendimento às vítimas das enchentes na Região Serrana que já conta com mais de 100 inscritos.”
Gente é isso! Peguei um resumo da reportagem no site Global Voices. Quem quiser ler inteira acesse: http://pt.globalvoicesonline.org/2011/01/15/brasil-enchente-na-regiao-serrana-do-rio-de-janeiro-devasta-cidades/
Triste não? Já penso se você estivesse no lugar de uma pessoa que foi vítima de tal tragédia? Com sua casa, móveis, roupas, utensílios destruídos? Ou até mesmo pior, parentes e amigos mortos?
...

Não é fácil não é mesmo? Mas podemos ajudar... doem alimentos, roupas, dinheiro e até quem quiser sangue. Eles precisam de ajuda. Aqui abaixo um site onde você pode se informar de como poder ajudar. Lá tem endereços, telefones e emails para quem quiser fazer uma doação.
E aqui as informações para saber o que se pode e o que não pode doar.
Pessoal por favor ajudem! Peçam para seus pais colaborarem, vejam seu guarda-roupa e vêm se tem algo que não usa mais, algum alimento que não vai lhe fazer falta mas poderá ajudar alguém.
Além do mais, nunca saberemos quando formos NÓS que precisaremos de ajuda.

Postado por: Jú.